5 dias na Bulgária – de Roma Antiga ao Comunismo: Mochilão Parte III

Depois de Milão, rumei para meu próximo destino, iniciando meu recorrido no Leste Europeu. Minha primeira parada foi a Bulgária, onde fiquei 5 dias e pude conhecer um pouco mais do país.

Bulgária é um pais localizado entre os Bálcãs e o Leste Europeu, com fronteira com Macedônia, Romênia, Grécia, Turquia e Sérvia. Possui apenas 7,3 milhões de habitantes e sua língua oficial é o búlgaro, de origem eslava, sendo que se utiliza o alfabeto cirílico no país.

A Bulgária é um país muito interessante, não sendo muito turístico e, portanto não muito cheio. Apresenta, porém, inúmeros atrativos, principalmente históricos.

Quando fui ao país, fiquei 6 dias, passando pela capital Sofia e pelas cidades de Plovdiv e Veliko Tarnovo. Mesmo não tendo ficado muito tempo, acredito que foi muito enriquecedor o tempo que passei, já que deu para conhecer um pouco mais da cultura do país e de sua história, desde a Antiguidade, na época do domínio romano, até os tempos atuais, passando pelos anos comunistas no século passado e pelo domínio otomano entre os séculos 15 e 19.

2017-06-06 14.53.10

Centro de Sofia e a influência do comunismo na cidade

Minha primeira parada no país foi Sofia (pronunciada corretamente como Sôfia), a capital búlgara. Antiga colônia romana, com ruínas que remontam a essa época, Sofia possui uma arquitetura bastante interessante, tendo uma grande influência pelo governo socialista do século passado.

A cidade me pareceu muito organizada e bastante limpa no geral. Por ser um dos países mais pobres da Europa, eu não esperava que a capital do país fosse tão bonita. Me surpreendeu positivamente, inclusive pela educação das pessoas, que param sempre para os pedestres atravessarem. Vendo por esse lado, é possível perceber como o Brasil, um dos países mais ricos da América do Sul, ainda é tão precário em relação à Europa, mesmo em relação aos países mais pobres de lá.

Em relação à cidade, os principais pontos turísticos são:

Boulevard Vitosha: principal rua da cidade, esse Boulevard possui 3 km e liga um Parque importante ao Palácio da Justiça. Nele, há diversos bares e restaurantes, bastante frequentados pela população local.

2017-06-05 18.07.47

Boulevard Vitosha e seus bares

Catedral de São Alexandre Nevsk: Símbolo da cidade, é bastante imponente e bem bonita por dentro. Na parte de fora, destaque para os paralelepípedos amarelos que fazem o calçamento das ruas ao redor. Bem legal!

2017-06-06 12.34.15

Visão lateral da Catedral da cidade

Igreja de Santa Sofia: datada do século 6, essa Igreja já foi uma mesquita entre os séculos 16 e 19, durante ocupação otomana. Atualmente, preserva alguns traços arquitetônicos raros, principalmente pela época de construção. Vale a pena entrar para conferir de perto.
Teatro Ivan Vazov: localizado bem no centro da cidade, esse teatro é o mais importante da Bulgária. Não cheguei a entrar, mas a fachada neoclássica é bem bonita.

Fachada do Teatro Ivan Vazov

Catedral de São Domingo: mais um antiga igreja (construída no século 10) localizada no centro da cidade, essa se destaca pela história. Reformada em 1898, a igreja foi quase que arrasada em 1925, após um ataque terrorista de membros do Partido Comunista com o objetivo de matar o rei da época, Boris III. Apesar de tirar a vida de 150 pessoas, o monarca não foi morto, visto que ele não estava na igreja na hora do atentado.

2017-06-06 14.37.16

Placa em memória ao atentado ocorrido na Catedral de SãoDomingo

Igreja de São Jorge: construção mais antiga da cidade, datada do século 4, foi erguida pelos romanos para servir como casa de banhos. Posteriormente, no século 6, foi transformada em Igreja, que sobrevive até hoje. É pequena e bastante simples, mas muito interessante de se visitar.

2017-06-06 11.26.35

Ruínas romanas com Igreja de São Jorge ao fundo: construção mais antiga da cidade

Sinagoga e Mesquita de Sofia: símbolos da miscigenação cultural e religiosa da cidade, ambas construções estão bastante próximas uma da outra. Mostram que é possível uma convivência harmônica entre os diferentes povos na mesma cidade. Na sinagoga, de 1909, há um museu dedicado a alguns judeus búlgaros. Já a mesquita, do século 16, se destaca pela grande cúpula e alto minarete.

2017-06-06 10.40.59

Mesquita ao fundo de mais ruínas romanas no centro da cidade

Museu de Arte Socialista: um dos museus que visitei e que mais me interessou durante minha viagem foi esse. Foi inaugurado em 2011 e expõe pinturas e muitas (muitas mesmo!) estátuas do período em que a Bulgária esteve sob domínio soviético. É possível assistir também a documentários e propagandas comunistas da época. Gostei muito e recomendo fortemente a visita (mesmo sendo um pouquinho distante do centro, é próximo a uma estação de metro, o que faz com que não seja difícil encontrar o local).

Este slideshow necessita de JavaScript.


Mosteiro de Rila: talvez o local mais visitado da Bulgária, esse lugar é único! Patrimônio da UNESCO e localizado na montanha mais alta do país, em meio a bosques, o mosteiro foi fundado em 927. Desde então, passou por diversas reformas e hoje é impressionante. No complexo, é possível observar diversos afrescos nas paredes e nos tetos, além de visitar um museu e também entrar na igreja propriamente dita. Vale muito a pena! No museu, dou destaque para a cruz de Rafael, uma cruz entalhada em madeira com muito detalhes, retratando diversas cenas bíblicas. Não tenho como descrever o quão impressionante foi ver isso. Reza a lenda que, após 12 anos de trabalho, o monge Rafael, que confeccionou a peca, perdeu a visão. Para chegar lá, há 2 opções principais: pegar um tour saindo de Sofia (caro) ou ir de ônibus (barato). Como bom mochileiro, peguei o ônibus e saiu muito barato, cerca de 30% do valor dos tours oferecidos. Para isso, peguei um ônibus saindo da estacão Ovcha kupel (não é a estação principal da cidade) diretamente para Rila. O percurso dura 2 horas e é bem tranquilo de se fazer nesse busão.

Para conhecer um pouco mais da história de Sofia, recomendo o Free Walking Tour da cidade. Eu o realizei e foi um dos melhores que fiz durante meu mochilão, com guias muito bem informados e bastante divertidos.

2017-06-06 18.33.05

Prédios clássicos da época comunista no centro de Sofia

Após 3 dias em Sofia, rumei a Plovdiv, segunda cidade mais populosa do país, com apenas 340 mil habitantes.

2017-06-07 13.06.00

A história dessa cidade é riquíssima, sendo considerada a cidade mais antiga da Europa, com mais de 5 mil anos de idade! Além disso, a cidade foi uma importante colônia romana, o que deixou um legado arquitetônico para Plovdiv, com um anfiteatro e um estádio.

Entre as principais atrações da cidade, destacam-se:

Centro histórico: bastante conservado, possui ruas de paralelepípedo e casinhas antigas bastante simpáticas. Uma caminhada por ali vale a pena!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mirante: bem próximo ao centrinho, há um mirante, no qual é possível observar grande parte da cidade de Plovdiv. Não é nada muito especial, mas é interessante de se ver.

2017-06-07 19.14.21

Vista do mirante

Teatro romano: mais um teatro romano que encontrei no mochilão, este foi construído no século 2 pelo imperador Trajano e redescoberto na década de 1970. É bastante preservado, tanto que ainda hoje serve como palco de algumas atrações, como shows e peças e teatro devido à boa acústica.

2017-06-07 13.41.48

Anfiteatro romano de Plovdiv

Estádio romano: descoberto acidentalmente em 1923, esse local era utilizado na época da Roma antiga para competições e jogos. Com mais de 240 m de comprimento, comportava até 30.000 espectadores. É considerado um dos edifícios romanos mais bem conservados da região dos Bálcãs, uma vez que está praticamente todo intacto. Uma curiosidade é que sobre o estádio está uma das principais ruas de Plovdiv. Por isso, não é possível ver todo ele.

2017-06-07 13.11.50

Parte exposta do estádio romano

2017-06-07-18-30-17.jpg

Representação do estádio inteiro

Após Plovdiv, peguei uma van na direção norte do país, mais especificamente à cidade de Veliko Tarnovo, minha última parada na Bulgária. Localizada entre algumas montanhas, é uma cidade bem pequena, porém muito bonitinha. Foi a capital do Segundo Império búlgaro e possui diversas construções medievais. Para visitar na cidade, as principais atrações são:

Fortaleza de Tsarevets: principal ponto turístico da cidade, esta fortaleza medieval foi construída no século XII, tendo também servido de Palácio Real. No complexo, que merece algumas horinhas de visita, há diversas torres, além de uma pequena igreja. Vale muito a visita, ainda mais para mochileiros, já que a entrada custa apenas 1 euro (2 lev) para estudantes.

Este slideshow necessita de JavaScript.


Centro antigo: além da fortaleza, Veliko Tarnovo conta também com um centro histórico bem agradável, com construções antigas e caminhos de pedras.

2017-06-08 18.27.54

Centro histórico de Veliko Tarnovo

Depois de Veliko Tarnovo, rumei para meu próximo país a ser explorado, pegando um trem com destino a Bucareste, capital da Romênia.

Visão geral

Entre as comidas típicas do país, destacam-se a banitsa de queijo, uma espécie de torta de massa folhada, a tarator, uma sopa fria de iogurte com pepino, e endro, o kebapche, uma espécie de kafta grelhada no pão, moussaka, uma espécie de lasanha de batatas, além de muitos outros pratos interessantes. Um dia, por exemplo, cheguei inclusive a comer coraçãozinho de galinha, gostei bastante. Em outro, provei um iogurte salgado de café da manhã, que achei péssimo! De qualquer maneira, recomendo provar um pouco de tudo da culinária búlgara, é bem diversa.

Na parte cultural, o destaque fica para uma curiosidade, no mínimo peculiar para nós. Lá, o sinal de cabeça que no Brasil significa não tem o significado de sim. É algo muito confuso para nós, visto que às vezes, pode causar alguns mal entendidos. Comigo, inclusive, aconteceu algo engraçado. Morrendo de fome, queria comer numa estação de trem e pergunta a uma senhora se ela aceitava cartão. Como ela não entendia inglês, tentamos nos comunicar por mímica. Ao mostrar meu cartão, ela fez sinal de que para nós é sim, porém fez também uma cara de negação. Na hora, tive uma leve tela azul, porém me lembrei desse pequeno detalhe e no final acabei usando dinheiro mesmo.

Outra coisa muito interessante que descobri é que, após o comunismo, o povo búlgaro elegeu como presidente seu antigo rei da Bulgária, que fora deposto pelo regime socialista. Me disseram que lá foi o único país no mundo em que um monarca foi eleito presidente. Não sei se é verdade, mas esse fato me pareceu bastante peculiar.

Por fim, mais um fato que me chamou bastante atenção foi a língua. Devido a alguns sons no idioma que são pronunciados como o “dchi” e “tchi”, certas vezes me parecia que as pessoas estavam falando português. É algo muito louco que línguas tão diferentes e tão distantes entre si possam ter similaridades a esse nível.

Conclusão

Após visitar tantas atrações, ter contato com a cultura búlgara e comer diversas coisas diferentes, eu recomendo a Bulgária como um país a ser visitado. Além de ser extremamente barato (eu gastei perto de 20 euros por dia contabilizando comida, hospedagem e passeios), é um país rico em história e não muito lotado de turistas, o que faz com que seja mais legal de se andar pelo país. Vale muito a pena. Vá que você certamente não se arrependerá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s