Explorando Torino em 2 dias

Capital da região de Piemonte, no noroeste italiano, Torino (ou Turim em português) não é uma das cidades italianas mais visitadas por turistas, que acabam preferindo outras cidades, como Milão, Roma e Veneza. Apesar de um pouco preterida pelos viajantes, Torino é uma bela cidade, que merece uma visita um pouco mais aprofundada.

Fundada inicialmente pelos taurinos, uma tribo de origem celta, Torino foi um modesto posto miliar romano. A cidade passou a ter uma maior importância somente no século 16, quando os príncipes de Savoia fizeram da cidade a sede da corte, transformando-a em um polo social e arquitetônico. Vale lembrar que, no século 19, os Savoia estiveram à frente da unificação italiana e foram os primeiros reis da Itália unida. No século 20, grandes empresas (como FIAT, Nutella e Lavazza, entre outras) foram criadas na região, tornando Torino uma das cidades mais industrializadas da Itália. Atualmente, Torino conta com pouco mais de 875 mil habitantes, que equivale à população de São Bernardo do Campo, em São Paulo.

Apesar de não muito conhecida por turistas, o patronato dos Savóia nos séculos 16 e 17 deu origem a belos edifícios na cidade, principalmente barrocos. A cidade também conta com um belo centro histórico, além de interessantes atrações culturais. Vamos ao principais pontos turísticos da cidade, que podem ser facilmente explorados em um fim de semana.

  • Museu Egípcio de Torino: é o terceiro maior museu egípcio do mundo e está localizado bem no centro da cidade. Possui um acervo riquíssimo com múmias, sarcófagos, artefatos, papiros, estátuas e, inclusive, um templo. Sua coleção se deve aos Savoia (olha eles de novo), que, em 1824, trouxeram à cidade objetos acumulados por um cônsul-geral da França no Egito. Somado a esses objetos, escavações realizadas por italianos e tesouros doados por egípcios completam a incrível coleção. Uma dica: chegando próximo ao horário de fechamento do museu, o valor do ingresso sai bem mais em conta do que o valor integral (15 euros).
2019-03-30 17.16.02

Uma das várias múmias que estão no Museu Egípcio de Torino, na Itália.

2019-03-30 17.25.18

Um dos sarcófagos expostos no Museu Egípcio de Torino, na Itália.

2019-03-30 17.36.21

Uma das várias múmias de animais que estão no Museu Egípcio de Torino, na Itália. Esta seria de um cachorro.

  • Duomo di San Giovanni: construído entre 1491 e 1498, esta catedral é o único monumento renascentista de Torino. Nele, está a bela Cappela della Santa Sindone, local que abrigaria o Santo Sudário, o pano que supostamente envolveu o corpo de Cristo após a crucificação.  Reza a lenda que o pano teria sido levado primeiro para o Chipre, depois para a França e, finalmente, para Torino, em 1694. Por conta da importância que tem, o objeto raramente é exibido ao visitante, porém é possível observar em réplicas o contorno de um corpo crucificado.
2019-03-30 10.31.05

Fachada do Duomo de San Giovanni, a Catedral de Torino, que supostamente abriga o Santo Sudário, pano que envolveu o corpo de Jesus depois de crucificado.

2019-03-30 10.15.35

Réplica do Santo Sudário, pano que teria envolvido o corpo de Jesus depois de crucificado. Nele, dá para ver marcas de um corpo e de uma coroa de espinhos.

  • Palazzo Reale: localizado bem pertinho da catedral, este palácio foi utilizado como residência oficial dos reis de Savoia por mais de 200 anos, de 1646 a 1865. Além dos luxuosos aposentos, seu interior também abriga um importante museu de armas. Acabei não os visitando, mas gostei muito de seus jardins, cuja visita é gratuita.
2019-03-30 09.42.49

Jardins do Palácio Real de Torino, que serviu de residência à família real de Savoia.

  • Mole Antonelliana: é o cartão-postal mais conhecido da cidade. Finalizado no fim dos século XIX, foi, por um curto período de tempo, um dos prédios mais altos do mundo, com seus 167 metros de altura. Além de abrigar o Museu Nacional de Cinema, o edifício oferece uma ampla vista da cidade. O ingresso é pago e geralmente há fila para entrar (por conta disso acabei não entrando no local).
2019-03-30 16.26.31

Mole Antonelliana, edifício que é o cartão-postal de Torino, na Itália.

  • Monte dei Capuccini: localizado do outro lado do rio Pó (em comparação ao centro da cidade), esta colina de 325 metros de altitude oferece uma vista sensacional de Torino. De cima, é possível observar todo o centro da cidade e identificar seus pontos turísticos. Além do mirante, o topo da colina também abriga uma simpática igreja barroca do século 16. Para mim, foi o local mais agradável que visitei na cidade. Sem dúvidas, um ponto imperdível quando se visita Torino.
2019-03-30 12.30.14

Vista a partir do Monte dei Cappucini, local que oferece um belo panorama de Torino, na Itália.

  • Piazza San Carlo: é a praça mais icônica de Torino, com uma arquitetura muito especial. Nela, encontram-se belos palácios (inclusive aquele que abriga o Museu Egípcio), além das igrejas barrocas de Santa Catarina e San Carlo, que ficam literalmente uma ao lado da outra.
  • Eataly: é uma rede de supermercados especializados em comidas italianas gourmet (que, inclusive, possui loja em São Paulo) e que iniciou suas operações em Torino, em 2007. Apesar de não ser muito diferente das demais unidades mundo afora, é legal de visitar (e pode ser uma boa pedida para um café ou uma comida rápida).
  • Demais atrações: como toda grande cidade italiana, Torino ainda conta com uma infinidade de igrejas antigas, palácios variados e museus. Destaco aqui alguns locais que merecem uma atenção maior para aqueles que tiverem mais tempo na cidade como a Galleria Sabauda, que possui obras de arte de pintores famosos, como Rembrandt e Tintoretto, o Palazzo Carignano e o Palazzo Madama, edifícios com belas fachadas, e o Museo Civico d’Arte Antica. Não entrei em nenhum destes, mas parecem ser bastante interessantes. Uma caminhada pelo centro histórico também é outro passeio imperdível.
2019-03-30 10.36.37

Simpática rua no centro histórico de Torino, na Itália.

Visão geral

Apesar de não muito conhecida e explorada por turistas, Torino foi uma cidade que gostei de conhecer. Me pareceu uma cidade mais fria quando comparada com cidades italianas mais ao sul, como Firenze e Roma – talvez por estar mais ao norte, próxima da França e da Suíça.

Torino é uma cidade muito organizada que possui atrativos muito interessantes, como o Museu Egípcio, que merecem ser visitados. Entretanto, o leque de opções que oferece pode ser facilmente explorado em 1 ou 2 dias, sendo um fim de semana mais do que suficiente para conhecer a cidade. Por conta disso, eu recomendaria visitar Torino sem criar muitas expectativas, já que outras cidades italianas possuem muito mais atrativos do que a capital piemontesa.

De qualquer maneira, foi uma cidade que gostei bastante e que achei válida de ser visitada de passagem, mais para ver como é.

Caso tenhas dúvidas ou sugestões, pode deixar um comentário aqui embaixo.

Aproveite e também siga o perfil deste blog no Instagram: @mochila.raiz 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s