O que ver e fazer em Liège, na Bélgica – A cidade do Pèket

Terceira maior cidade do país, Liège fica a pouco mais de uma hora de trem da capital belga. Apesar de não ser a capital da Valônia (região francófona da Bélgica), é considerada a cidade mais importante da região, tanto pelo sua importância histórica como pela sua importância comercial. Nesse post, vou dar algumas dicas de locais para visitar na cidade, perfeito para um bate-volta a partir de Bruxelas.

Assim como muitas outras cidades europeias, os primeiros registros de Liège datam da época do Império Romano. Foi na Idade Média, porém, que a cidade obteve um maior prestígio e passou a ser uma das mais importantes cidades da região. Mais tarde, assim como outras cidades da região, Liège passou pela mão de diversos impérios: primeiro pelos Habsburgos, depois pelos espanhóis, seguido pelos holandeses, e, enfim, pelo Reino Belga, criado em 1830.

Todas essas influências que Liège sofreu ao longo do tempo certamente contribuíram para a cidade ser o que é hoje. Somado a isso, há também a proximidade a algumas cidades dos Países Baixos, como Maastricht (que fica a 25km) e na Alemanha, como Aachen (que fica a 40 km de Liège), que certamente fazem de Liège uma cidade interessante para se visitar quando se está em trânsito a algum destes países.

Apesar de possuir atrações surpreendentes, Liège ainda não é muito conhecida pelos turistas que lotam Brugges e Bruxelas. Por conta disso, um passeio pela cidade certamente será bastante agradável e muito interessante. Vamos aos principais pontos da cidade:

Estação de trem Liège-Guillemins

Projetada pelo famoso arquiteto espanhol Santiago Calatrava, essa estação foi inaugurada em 2009 e é uma das grandes atrações de Liège. Com uma bela forma, é uma das estações de trem mais bonitas da Europa. Seus traços lembram bastante a Ciudad de la Ciencia, em Valencia, que foi projetada pelo mesmo arquiteto.

Estação Liège-Guillemins, a principal da cidade

Montagne de Bueren

Diferentemente de outras cidades belgas, Liège não é muito plana, sendo cercadas por colinas. Uma destas, localizada bem próxima do centro histórico é a Montagne de Bueren, o maior ponto turístico da cidade. Com uma vista espetacular do rio Meuse e de grande parte do centro, essa colina é acessada a partir de uma escadaria com 374 degraus.

Montagne Bueren

É bastante íngreme e pode ser um pouco cansativo chegar até o topo. Mas a vista é maravilhosa e faz o esforço valer a pena.

A colina da Cidadela

Além de uma vista da cidade, a colina onde a escadaria está localizada também esconde outras surpresas. Uma caminhada de 10 minutos ao longo de trilhas leva a vistas ainda mais especiais. Ali, há plantações agrícolas, criação de animais e alguns pomares. É bem legal, porque nem parece que se está numa das maiores cidades do país.

Além destes locais mais naturais, as ruazinhas próximas ao centro histórico também são bastante charmosas, merecendo uma atenção especial por parte do visitante.

Centro histórico

Além de belas vistas na colina da Citadela, Liège também possui um belo centro histórico. Lá, há museus e igrejas para todos os gostos, além de edifícios belíssimos. Sem dúvida, caminhar sem pressa pelo local é um passeio obrigatório na cidade.

Caminhada ao longo do Rio Meuse

O rio Meuse, aquele mesmo que passa por Namur, também passa por Liège. Fazer uma caminhada ao longo dele, observando as embarcações e os edifícios em sua margem é outro passeio essencial. Uma dica é caminhar ao longo do Meuse para se ir da estação de trem até o centro de Liège.

Gastronomia de Liège

Liège é bastante conhecida na Bélgica por possuir uma culinária bastante típica e tradicional. Foi na cidade, inclusive, onde comi o primeiro prato belga que realmente gostei: os Boulets à la liégeoise (em português, algo como: almôndegas à moda de Liège). O prato leva carne de boi e de porco e tem uma sabor muito especial graças à utilização do sirop de Liège (um tipo de xarope de pera). Acompanhado de batatas fritas ou croquetes, é um prato que cai bem após caminhar pela cidade.

Já como sobremesa ou lanche da tarde, a tradição da cidade são os Gaufres liégeoises, que não são nada mais nada menos do que os famigerados waffles. Pessoalmente, não achei nada tão especial, mas é algo para se experimentar quando se visita Liège.

Para fechar a experiência gastronômica, a minha dica é experimentar um shot de pèket, um tipo de licor típico da região. O pèket original é bastante forte e lembra um gim, mas também há várias opções com sabores de frutas. Para provar os verdadeiros pèkets, sugiro visitar a famosa Maison du Peket.

Visão geral

Liège é uma das cidades que mais me surpreenderam na Bélgica. É aquele tipo de cidade que geralmente não consta nos guias turísticos, mas que possuem uma cultura interessante e diversas atrações para visitar. Por conta disso, é uma das cidades que mais gostei na Bélgica até o momento, sendo uma ótimo pedida para um passeio de um dia a partir de Bruxelas (ou para uma parada de almoço quando se está a caminho da Alemanha). Gostei muito e recomendo!

Para dicas de outros destinos belgas, veja também os posts de BruxelasNamur e Brugges.

No caso de dúvidas ou sugestões, pode deixar um comentário aqui embaixo, que responderei assim que possível.

Aproveite também para seguir o perfil deste blog no Instagram: @mochila.raiz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s