O que fazer em Kortrijk (Courtrai), na Bélgica

Continuando a série de posts sobre cidades da Bélgica, hoje é dia de falar de Kortrijk (ou Courtrai em francês), que fica ao norte de Bruxelas, na região do Flandres. Apesar de não ser muito turística, é uma cidade muito simpática, sendo uma boa pedida para um bate-volta a partir da capital belga.

Às margens do rio Lys/Leie (em francês/holandês), Kortrijk é uma cidade cujas origens remontam à época romana, estrategicamente localizada próxima a estradas até então usadas pelos romanos. Já na Idade Média, a cidade floresceu devido ao comércio de linho e lã com a França e Inglaterra, o que fez com que a cidade se tornasse uma das mais prósperas da região. Nessa época, a cidade cresceu bastante e foi necessário construir algumas muralhas para proteção – cujos resquícios ainda podem ser vistos hoje.

Felizmente, uma boa parte da arquitetura medieval de Kortrijk permaneceu praticamente intacta, o que pode ser observado em seu belo centro histórico, facilmente explorado a pé pelos visitantes. Vamos então às principais atrações da cidade:

Grote Markt (Grand Place)

Assim como quase todas as cidades belgas, a praça principal da cidade é o ponto de partida numa visita a Kortrijk. Localizado no meio da praça, o Belfort é o que chama primeiro a atenção dos visitantes. Construída em 1307, essa simpática torre (com sinos) é um dos principais símbolos da cidade. Também chama a atenção o edifício da prefeitura (Stadhuis), de estilo gótico e que data do século XVI. Os outros prédios ao redor da praça, todos no estilo flamengo, também são muito simpáticos e merecem uma olhada mais atenta.

Grote Markt, Coutrai, Bélgica

Béguinage/Begijnhof

De forma similar a Ghent, Mechelen e Leuven, Kortrijk tem uma béguinage para chamar de sua. Listada pela UNESCO como um dos patrimônios culturais da Bélgica, suas origens remontam ao ano de 1238. Fica bem pertinho do centro da cidade e está muito bem conservada. Sem dúvidas, é um dos pontos mais interessantes de Kortrijk.

Béguinage, Kortrijk, Bélgica
Béguinage, Kortrijk, Bélgica

Broeltorens

Símbolo da cidade, as Broeltorens são os últimos remanescentes das muralhas que protegiam a cidade na Idade Média. Localizadas sobre o rio Lys, as torres não foram construídas no mesmo momento. Uma delas (Speyetoren) foi construída em 1385 juntamente com a ponte, de modo a controlar o tráfego de barcos no rio. Já a segunda (Ingelborchtoren) é um pouco menos antiga, tendo sido construída em 1415 e usada como depósito de armas e munições. Muito bem conservadas, essas torres também são consideradas um dos símbolos de Kortrijk.

Broeltorens, Kortrijk, Bélgica
Broeltorens, Kortrijk, Bélgica

Outras atrações: igrejas e museus

Além desses 3 pontos principais, Kortrijk conta também com diversas igrejas e alguns museus que podem ser visitados. A Igreja de Saint Martin (Sint-Maartenskerk) é a principal da cidade e conta com uma bela fachada gótica. Foi construída no século 13, mas a forma atual remonta ao século 15, após ter sido atingida por um incêndio. Outra que merece destaque é a Igreja de Nossa Senhora (Onze-Lieve-Vrouwekerk), que data de 1199 e possui um belo altar. Já em relação aos museus, a cidade conta com o museu Kortrijk 1302, que conta a história de uma importante batalha que ocorreu no local e o Museu do Linho, que conta um pouco da história do comércio do tecido na região. Quando visitei a cidade, não fui aos museus, então não sei dizer se valem (ou não) a pena.

Visão geral

Kortrijk não é uma cidade cheia de pontos turísticos – e por conta disso não se encontra em nenhum guia de viagem da Bélgica. Porém, é um local que gostei de visitar. Seu centro histórico é muito bem preservado, sua Béguinage é muito bonitinha e, por não ser nada turística, é possível observar o dia-a-dia de uma cidade belga de uma maneira mais autêntica. Por conta disso, é um lugar que recomendaria àqueles que queiram conhecer um pouco mais da Bélgica “raiz”. Uma dica seria estender a visita a cidades próximas, como Tournai, por exemplo. Como são cidades pequenas, sem muito pontos turísticos, daria para visitá-las em um só dia.

Para dicas de outros destinos belgas, veja também os posts de Bruxelas, Namur, Brugges, Liège, Ghent, Durbuy, Leuven, Mechelen e Ardennes.

No caso de dúvidas ou sugestões, pode deixar um comentário aqui embaixo, que responderei assim que possível.

Aproveite também para seguir o perfil deste blog no Instagram: @mochila.raiz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s